quarta-feira, dezembro 28, 2005

Miséria Humana

Ó miséria humana
Que te alimentas do ódio
És dor que racha o peito
Daquele que mergulha no lodo
Para salvar o irmão do ópio.

Ó miséria humana
Que te alimentas do terror
És dor que despedaça a alma
Daquele que procura
A Luz, o Caminho e o Amor.

Ó miséria humana
Que te alimentas da ignorância
És dor profunda
Daquele que já transpôs
Os meandros da ilusão
E se transfigurou
Numa Luz em abundância.

Ó miséria humana
Que te alimentas da separação
Não existe uma razão
Para que tu me faças sofrer,
Pois o tu e o eu não existe
Só o Uno consiste
Para lá do ter.

Ó miséria humana...
Espero que um dia
Possas vir morrer á fome.

Jorge Moreira – Dezembro 2005

12 comentários:

Poesia Portuguesa disse...

Um poema profundo, sobre a dor e o sofrimento...

Já postei o teu poema, escolhi a imagem a meu gosto, espero que não te importes.
Um abraço e boas entrdas em 2006 ;)

aaf disse...

que possa a miséria morrer à fome!
que o ano de 2006 traga mais luz ao mundo.

Maria João Figueira e Alberto Frazao

Friedrich disse...

Lindo esta poesia, obrigado pelo teu comentáro no meu blog, apenas dorei mais:

Hipe, hipe, urra! Urra urra urra. Hipe hipe urra. Shiribi tá tá tá. Shiribi tá tá tá. Urra urra urra...
Próspero Ano Novo 2006 - Hipe hipe urra!
Felicidades

joao firmino disse...

Haveria muito a dizer da miséria humana. Mas haverá lugar e tempo onde as diferenças brutais entre os homens possam desaparecer? Não encontro respostas.
Um abraço,
João Firmino

aaf disse...

Obrigado Jorge pelo link para o nosso circulo de poesia. Se nos importamos? É uma honra estarmos unidos a um blog com a intensidade de reflexão e a beleza das perspectivas que se pode ver no teu blog.

Penso que é importante espalhar todas as ligações necessárias para contribuir para um mundo melhor.
Saber que estamos no mesmo comprimento de onda é óptimo.

Maria João figueira

TMara disse...

k melhor esperança do k esta com k terminas o poema? Junto a minha à tua vontade.
Bjs de luz e paz ;), BOAS entradas e, globalmente um melhor 2006 no mundo, mais solidário, pacífico e justo @’-,-‘---

mjfigueira disse...

Acabei de fazer um link no blog do circulo de poesia para este teu sitio. Não tem a ver com retribuição mas com puro prazer.

Tudo de bom

Maria João Figueira

Duarte disse...

Olá Jorge,

Por ligações que já não descortino, cheguei até aqui. Estive a ler o poema, "miséria humana" e gostei. Aprecio os poemas que manifestam, alertam, gritam revolta. Gostei deste espaço. Espero voltar. Um abraço

Desambientado disse...

Seria uma morte bem merecida.
Gostei muito.

Anónimo disse...

o que eu estava procurando, obrigado

Miranda disse...

Muito bom Jorge, gostei muito inclusive postei teu poema em meu blog com os devidos méritos e claro.
Aqui na cidade de São Paulo a Miséria Humana surge com força total, tenho tentado mostrar isto através da fotografia.
Abraços Miranda

Thatty disse...

Muito bom,muito profundo