segunda-feira, janeiro 16, 2006

A Natureza

Natureza
Corre
Vibra
Imensa luz
Imenso amor

O silêncio ecoa
Na paisagem
E grita de esplendor

Natureza
Encanta
O som das cores
O dom dos Deuses

Única
Simples e nua…
A Natureza.


Jorge Moreira - Dezembro 2005
Este poema foi editado nos seguintes blogs: Plagiadíssimo e Agonia ou Êxtase

12 comentários:

Isabel José António disse...

E nós somos essa Natureza, Jorge. Muita força!

José António

Isabel José António disse...

O "som das cores";
O "dom dos deuses"!

São imagens maravilhosas e profundas sinestesias...

Só na Natureza encontramos, como diria o José António, "a cor do silêncio"!

Grande Abraço e parabéns pelo trabalho e ajuda no blog do Ramo...

Isabel

joao firmino disse...

E se a natureza nua é de uma grande simplicidade e encantador aos nossos olhos, já uma natureza humana nua, exposta, é algo muito mais complexo de chegar.
Mas quando chegamos, vemos que afinal era tuso tão simples e nesse instante vemos a luz e amor que existe nessa transparência.
Um abraço,
João

Pink disse...

Assim pudessemos todos ver e sentir a Natureza!
Belo post!

Um beijo

TMara disse...

a cor do silêncio e a cor da vida.Origado pela partilha. Bjs e ;)

maresia_mar disse...

Olá
a cor da natureza, as cores da vida. Belissimo o post.. são estas as pequenas/grandes coisas da vida. boa semana

Desambientado disse...

Fantástico poema.

Já aqui tinha estado. Não sei como aqui vim ter e também não sei porque razão não voltei. É um blog fantástico.

Parabéns.

vero disse...

Sabes Jorge, neste teu blog sinto...paz...entendes??? Beijinhos***

Jubal Cabral Filho disse...

Patrício
"Roubei" sua poesia NATUREZA e a publiquei no blog.
Espero não estar infringindo uma regra sua e (após o ato) peço permissão para continuar surrupiando seus poemas.
Abraços

Hórus disse...

A natureza é energia invisivel que não se vê, mas tem o dom de encantar todos aqueles que visitem a sua casa cheia de quadros de imagens sublimes.

maat disse...

belo,vai ao cerne.

Parabéns,

***
maat

Zeak disse...

Completamente de acordo com a vero.
Até ia fechar o quadrado, quando me lembrei que ainda não te tinha plagiado.
Um abraço